unissex

Como organizar seu guarda roupas | @Raphaelcs

Oito dicas que vão ajudar a acabar com a bagunça e ajudar a deixar as roupas mais fáceis de serem encontradas e conservadas

sexinthecity.gif

Olar! Esse é um post de utilidade pública, gente. Alguns leitores andaram me perguntando algumas dicas pra organizar melhor o armário e achei válido reunir todas elas em um só lugar pra facilitar a vida de todos.

Eu sei que a nossa rotina é corrida e por isso (ou apenas relaxamento mesmo rs) deixamos muitas vezes as roupas jogadas e depois acaba sendo um prejuízo de tempo e organização. Só que organizar não é nenhum bicho de sete cabeças e super facilita a vida. Recomendo tirar um dia, fazer uns bons drinks, colocar uma playlist bem animada e tornar a experiência algo divertido, bem Carrie Bradshaw. Vamos lá!

Separe por cores

Eu vou já começar com a dica que acho mais útil de todas. Eu costumo arrumar meu closet por cores. Indo do branco ao preto. Para quem tem aquela cisma com uma cor só, talvez não seja uma dica tão útil assim, mas quem gosta de variar como eu, pode usar que é sucesso. Você consegue acompanhar melhor suas roupas e identificar onde exatamente cada peça está.

cores1.jpg

Aquelas favoritas que você usa sempre ficam mais acessíveis e, olha que legal, as que você já nem lembrava que existiam ali começam a aparecer entre as cores, agrupadas nos tons delas. Sendo assim, mais uma vez, recomendo: vá do claro pro escuro, do branco pro preto.

Guarde as peças de outra estação

Dica valiosa! Se você vive em um lugar com estações bem definidas, é ainda melhor. Peças da estação atual ficam à mostra, nos cabides, esticadinhas; peças que só devem ser usadas nos próximos seis meses, são dobradas e guardadas em partes menos fáceis de acessar do armário. Assim, você abre espaço para o que está sendo usado.

Roupas-de-inverno.png

Exemplo: em pleno verão, guarde os casacos e sobretudos dobradinhos (e de preferência em sacos\embalagens para não pegar poeira).

 Hidratação do couro

Aliás, se alguma dessas peças for de couro, para que ela não perca o brilho característico do tecido, de tempos em tempos, tire uns minutinhos para passar um pano molhado, secar (importante!) e depois guardar de novo. Senão, elas podem ficar com aspecto seco e perdem o charme todo.

couro

Meias e cuecas

Essa não é nenhuma novidade. Aquela gavetinha marota que a gente guarda as meias e cuecas se mantêm. A única coisa que digo é que, para quem tem muitas, como eu, a boa é fazer das cuecas rolinhos para guardar. Você consegue visualizar melhor as suas opções e abre mais espaço. Para meias, as bolinas são sempre uma ótima opção pra guardar.

cuecasemeias

Sapatos são organizados por tipo

Não por cores! Faz assim: chinelos, sandálias, alpargatas, tênis de corrida, cano médio, cano alto, bota.

sapatos.jpg

Sacou o padrão? Vai colocando de forma gradual, dos mais sutis e menores aos maiores e mais espaçosos. Isso ajuda muito a identificar qual tipo de sapato você vai pegar pra combinar com a roupa que você escolheu. Os pare arrumadinhos ajudam muito a não se atrasar pro role. Antes de organizar, cansei de ficar horas procurando pelo outro par do tênis que eu queria usar. É um saco!

Se precisar, use um cabideiro

Se você usa as roupas mais de uma vez, recomendo um cabideiro, principalmente do lado de fora do armário. Assim, você chega da rua e coloca aquela roupa usada para descansar e arejar antes de reutilizar. Colocando dentro do armário com as outras, pode passar cheiros, sujeiras e afins para peças que estão limpinhas e passadas. Eu reutilizo muita roupa, porque nem sempre que você volta da rua ela está completamente suja e super dá pra usar de novo. Pra quem lava as próprias roupas, essa dica vale ouro.

download

Cabides de madeira ou acrílico

Cabides são vida! Eu recomendo que camisas estejam sempre em cabides e nunca em gavetas. Assim, as passadas mantêm a consistência e as que não foram passadas recebem uma ajudinha da gravidade para desamassarem (principalmente se você usa amaciante quando lava).

cabides

Porém, cabides de plático e muito maleáveis não são uma boa opção. Rooupas mais pesadas podem envergar esses cabides e eles também não ajudam muito a manter a roupa no formato que ela deveria estar. Resultado: acabam amassando. Sendo assim, cabides mais consistentes e rígidos como madeira ou acrílico são a melhor opção para manter suas roupas bem direitinhas no armário, além de serem esteticamente mais bonitos também.

Arrumou tudo e sobrou peça?!

Bom, esse é o momento de doar. A gente compra roupa quase sempre, principalmente fim de semana quando rola alguma saída pra se divertir. Quando menos esperamos, nosso armário está transbordando. Porém, há armários por aí que não têm a mesma sorte. Separe o que não tem mais uso pra você e doe. Vai fazer alguém muito feliz.

doação.jpg

E aí? Ajudei? Espero que sim. Comigo, essas dicas funcionam perfeitamente. Tomara que com vocês também. Até a próxima!

Afinal, roupa tem gênero? | @Raphaelcs

O “genderless clothing” ganha cada vez mais força no mundo da moda e quebra paradigmas antes impostos pela separação do vestuário em gêneros

 

Em uma era de grande debate sobre identidade de gênero, o mundo da moda embarca na discussão, levando diversas marcas à lançarem tendência com a criação de roupas sem este tipo de definição – ou o incentivo à utilização de peças de vestuário masculino em composições femininas e vice-versa.

É claro que a modelagem de roupas masculinas e femininas seguem um padrão corporal baseado nas curvas de cada gênero. Mas aí é que está. Nosso tempo é de liberdade e aceitação, inclusive, de suas curvas como são e não como deveriam ser moldadas. Pessoas (não homens ou mulheres, apenas pessoas), vêm em diferentes tamanhos e formas. Não dá para padronizar o que a própria natureza faz de forma tão variada.

Eu mesmo, homem, já comprei diversas peças de roupa na sessão feminina por se encaixarem bem na composição de um “look” que decidi usar. O que isso diz sobre mim? Que minha identidade de gênero não é bem definida? Não. Eu apenas vejo peças de roupa de forma genérica e não da forma que as lojas que separam por gênero me obrigam a ver.

Nos anos 20, com a revolução feminina, por exemplo, começou-se a notar o uso de roupas masculinas por mulheres. Uma forma de protesto, sem deixar de esbanjar estilo. A verdade é que existem mulheres que, desde a época citada acima, usam roupas ditas masculinas por serem mais confortáveis também. A grande revolução veio quando homens começaram e encaixar peças do vestuário feminino em seu guarda roupas. Repararam? Lá pelos anos 70, diversos homens de influência, formadores de opinião, de David Bowie à Ney Matogrosso, levantaram a bandeira da liberdade, quebrando paradigmas sociais, como uma forma de expressão artística. E até hoje vemos seu legado, principalmente entre o público mais liberal e alternativo.

 

Mais para os dias atuais, temos o ator Jaden Smith, filho de Will Smith, que lançou sua coleção de roupas sem gênero há dois anos atrás e não parou por aí. De lá para cá, vem estrelando diversas campanhas que incentivam o fim do gênero em roupas, chegando até a protagonizar uma campanha de roupas femininas da Louis Vuitton.

Sim, ele foi bastante criticado e ainda é. Apesar disso, representa o ideal de liberdade do qual tanto se fala pelo simples fato de enxergar roupas, seja de que marca forem, como peças à serem usadas por pessoas, não homens ou mulheres apenas.

A forma retrógrada de encarar o genderless clothing, a moda sem gênero, de forma negativa é, infelizmente, a raiz machista que vem do nosso histórico social. Porém, este é um ponto de vista cada vez mais decadente e, com sorte, eventualmente extinto. Ainda há quem resista, claro, mas se até hoje resistem à igualdade racial (que nunca deveria nem ao menos ter sido questionada), imagine com o vestuário. O que nos resta é vestir o que bem entendermos, defender nosso estilo próprio e viver de acordo com o que acreditamos, não com o que nos fizeram acreditar.

Por hoje, é só. O que acham? Quais suas considerações sobre o tema? Mandem pra gente!